Aplicação e escleroterapia (secagem de vasinhos)

O tratamento de escleroterapia (secagem de vasos) é realizado no consultório, sem nenhuma restrição após as sessões. Na maioria das vezes é indolor, utilizamos anestésicos locais, não há restrição ao sol nem ao trabalho. A ginástica e a academia podem ser realizadas no dia seguinte.

 

SECAGEM DE VASINHOS ( ESCLEROTERAPIA ), O QUE É ?

Método mais antigo e mais eficaz na atualidade para o tratamento de vasinhos. O nome medico para vasinhos é telangiectasia, que são vasinhos com diâmetro menor que 1 milímetro e que se localizam na camada intradérmica da pele.

Consiste na aplicação, em consultório ou durante uma cirurgia para varizes , de pequenas injeções de uma ou mais substâncias combinadas ( glicose hipertônica, oleato de monoetanolamina, polidocanol, álcool, entre outros ), podendo ser divididos em irritantes diretos (desnaturantes de proteínas) ou desidratantes do endotélio ( soluções hipertônicas ), com o objetivo de secar esses vizinhos.

Endotélio são células que revestem internamente o vaso.

 

O número de sessões necessárias para eliminar os vasinhos geralmente são proporcionais a quantidade de vasos e o produto a ser injetado depende da experiência pessoal do médico, características dos vasos e condições individuais das pessoas. Os produtos mais utilizados no Brasil são a glicose hipertônica, o polidocanol e o ethamolin. Esses produtos podem ser utilizados em associação com algum anestésico caso o paciente não apresente nenhuma contraindicação.

 

CRYOLASER E CRYO-ESCLEROTERAPIA (CLACS), O QUE SÃO ?

LASER-1

CLACS é uma abreviatura de ”cryo-laser and cryo sclerotherapy” , uma modalidade de tratamento que combina laser, escleroterapia, e jatos de ar gelado sobre a pele, sendo procedimento guiado pelo equipamento de realidade aumentada, que localiza a veia para então o laser ser disparado. A combinação do laser e a escleroterapia – com o uso de substâncias esclerosantes como a glicose – é vantajosa. Portanto, essa modalidade de tratamento exige um maquinário especial.

LASER 2

São 3 aparelhos interligados que cumprem cada etapa para tornar o procedimento eficaz. A técnica é recente e visa conseguir sessões que sejam seguras ( livre de embolia, ulceração venosa e anafilaxia ), sendo eficiente, duradoura e confortável.

A injeção de glicose em um vaso tratado por laser há poucos instantes tem seu efeito potencializado. Isso acontece porque o laser causa alterações no fluxo sangüíneo local, tornando-o mais lento e favorecendo a ação prolongada da substância esclerosante no local. Assim, o tratamento de áreas extensas é efetivo com a combinação das duas técnicas.

O laser é não invasivo. O equipamento emite pulsos de luz que penetram no corpo e são absorvidos 30 vezes mais pelo sangue que pela pele. Para diminuir a sensação de dor durante as aplicações, assim como para resfriar os vazinhos, a agulha e consequentemente o líquido esclerosante, utiliza-se equipamento de ar gelado, com temperaturas de até – 20º C, sobre a pele. A dormência da pele provocada pelo frio diminui a dor, não traz efeitos colaterais e ainda abtém benefícios provados pela técnica de resfriamento da substância esclerosante.

LASER 3

Isolado, o Cryolaser também é indicado para o tratamento de telangiectasias (vasinhos) na face.

O tempo de duração da sessão é de acordo com a quantidade de locais a serem tratados, mas leva entre 40 e 60 minutos em média. A modalidade é indicada para pequenas veias e sessões precisam ser feitas com intervalos de 30 dias. Não há restrição à exposição solar.

Existem contra-indicações para a técnica e maiores informações somente em consulta médica.